Cachoeira Paulista e sua historia

 

    Embora Cachoeira Paulista tenha sido emancipada 1880, sua historia começou, realmente, muito tempo antes: uma expedição rumo as Minas Gerais, comandada pelo bandeirantes Brás Cubas teria passado por aqui em 1560, e fundado um povoado no atual Embaú.

A expedição, que navegava pelo Rio Paraíba, teve que aportar e continuar por terra, devido ao acentuado declive do rio, que provocava corredeiras. Vários outros expedicionários passara por aqui, entre eles, João Ramalho, João Pereira Botafogo, Domingos Rodrigues, Jacques Felix e Felix Guizard. Em documentos de 1730, documentos citam um arraial pertencente a Vila de Lorena, denominado "Arraial do Porto da Caxoeira".

 

Bom Jesus da Cana Verde

 

      Cachoeira localiza-se no Vale do Paraíba, sendo cortada pelo Rio Paraíba: longe, na direção de sudeste, município de Silveiras, por trás dos contrafortes que dominam Cachoeira, nasce o rio Paraítinga. avança na direção de Cunha, de São Luiz do Paraitinga e, depois, de receber o rio Paraíbuna, dessa junção em diante, aparece o nome de Paraíba. Faz graciosa curva em Guararema e, após, banhar um rosário de cidades, vem cortar Cachoeira, com a serie de pequenas corredeiras, as quais, por ocasião da vazante do rio dão a impressão de cachoeiras. Dai, o nome de "Caxoeira".

Rio de grande significação: banha três Estados: São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. São afluentes do Paraíba, em Cachoeira, os rios: Bocaina, Embaú, Pitéu, Jataí e Salamanco.

Cachoeira - arraial situado a margem do Paraíba, a nordeste da capital e a 2 e 1/2 léguas ou 13,8 Quilômetros alem da cidade de Lorena, na estrada geral de São Paulo ao Rio de Janeiro. Em 18 de outubro de 1784, Manoel da Silva Caldas e sua esposa, Ângela Maria de Jesus doaram, segundo escritura registrada em Guaratinguetá, "200 braças de terra, mais meia légua dos sertões situados na margem esquerda do Rio Paraíba, ate as divisas com o Embaú" ao Patrimônio da capela do Bom Jesus da Cana Verde, erigida alguns anos antes por Sebastiana de Tal e outros devotos, próximo ao local onde hoje fica a Associação de Moradores da Margem Esquerda (AME), dando origem a este arraial. Este arraial promete desenvolvimento por ser o ponto terminal da estrada de ferro D. Pedro II e da junção com a estrada de ferro São Paulo e Rio de Janeiro.. Em 1785, uma outra capela, de pau-a-pique, foi construída, recebendo a primeira benção em 1786, pelo padre Manuel Francisco Lescura Bahuer. Também em 1786, havia sido iniciada a construção de uma nova capela, cujas obras foram paralisadas quando um dos operários que trabalhavam no local, enforcou-se. As obras foram reiniciadas mais tarde,  no local onde atualmente fica a igreja do Bom Jesus, na Margem Esquerda.

 

Estrada Imperial

 

          Em 1880, iniciou-se a abertura da Estrada Imperial, entre a corte (Rio de Janeiro) e São Paulo, que cortava a Serra do Mar, passava pelas cidades do Vale Histórico e, vinda de Silveiras, cortava Cachoeira, passando pelo bairro São João, descendo pela atual rua dos Trabalhadores, dirigindo-se para as atuais ruas João Gonçalves Bittencourt, Sete de Setembro e Orris Benedito Barbosa. Dai, seguia para Canas. Mas tarde, a estrada, em vez de seguir pela Rua dos Trabalhadores, ligava-se, do São João a rua Sete de Setembro, pela atual Avenida Maestro Lorena. O príncipe regente D. Pedro I passou por Cachoeira durante a viagem em que proclamou a independência do Brasil. Para comemorar, foi erigido um monumento próximo a rodoviária nova, no inicio da Rua João Gonçalves Bittencourt. Durante muito tempo, o núcleo urbano da cidade restringia-se a margem esquerda do Rio Paraíba, que se atingia através de balsas. Em 1862, Ana Ortiz, devota de Santo Antonio, financiou a construção de uma capela em louvor ao santo, que foi demolida em 1869, para dar lugar a outra, maior e de tijolos. A estação ferroviária da Estrada de Ferro Pedro II começou a funcionar provisoriamente em 1875 e tornou-se importante centro escoador da produção cafeeira do sertão de Silveira e do Sul de Minas. Inaugurada oficialmente em 8 de julho de 1877, a obra, projetada por Newton Benaton, custou 300 contos de réis.

 

Emancipação

 

         Pela lei nº. 5, de 9 de marco de 1880. Cachoeira é desmembrada da Vila de Lorena, passando a denominar-se Vila de Santo Antonio da Cachoeira. A primeira Câmara Municipal foi instalada no dia 8 de janeiro de 1883, e era presidida pelo coronel Domiciano Rodrigues Pinto. O vice-presidente era Manuel Saturnino de Seixas ( que foi proprietário do primeiro jornal da cidade, a Gazeta da Bocaina). Todos os outros cinco vereadores tinham o mesmo nome: Joaquim Pedro Barbosa, Joaquim Cândido Pinto, Joaquim José Rodrigues da Motta, Joaquim L. de Freitas Braga e Joaquim dos Santos Pinto Júnior. A Câmara funcionava na torre central da estação ferroviária.

Pontilhão

        Em 27 de marco de 1890, foi criado o Termo da Bocaina.
Em 25 de maio do mesmo ano, criado o fórum da Bocaina, anexando o município de Cruzeiro. A vila foi elevada a categoria de comarca em 25 de agosto de 1892. Em 15 de maio de 1895, a comarca tornou-se cidade, elevando-se a Distrito de Paz do Município e comarca da Bocaina. Um decreto do interventor Armando Salles de Oliveira, de maio de 1934, anexa a Cachoeira os terrenos do Jataí (atual "Sapé"), Embaú, Embauzinho e Quilombo. Em abril do ano seguinte, o governo do Estado incorpora a Cruzeiro o distrito de Itagaçaba, que até então pertencia a Jataí.

   

Valparayba

       Em 1943, por determinação federal Cachoeira teria de mudar de nome. Para a escolha do novo nome, foi realizado um plebiscito, do qual saiu vencedor , entre várias outras sugestões, o nome Valparayba. Só a partir de 30 de maio de 1948, a cidade passou a chamar-se definitivamente Cachoeira Paulista.

 

Curiosidades

         A origem do nome Cachoeira Paulista deve-se ao fato de o Rio Paraíba ser encachoeirado após o pontilhão de Ferro da MRS Logística (antiga Estrada de Ferro Central do Brasil). Antes de se chamar Cachoeira Paulista, a cidade teve 7 nomes diferentes:
Cachoeira, Porto da Caxoeira, Cachoeira de Lorena, Santo Antonio do Porto da Cachoeira, Vila da Bocaina, Cachoeira, Valparayba. - A primeira rua de Cachoeira, foi a "Bom Jesus", que em forma de trilho, partia da capelinha e avançava ate o caminho por onde passavam as tropas de Minas Gerais, hoje Rua São Benedito.
- As primeiras edificações eram miseráveis choupanas de pobres sertanejos, na sua maioria pescadores das margens do Rio Paraíba.   O município de Cachoeira Paulista tem uma área de 277 Km2; uma população aproximada de 28.000 habitantes, sendo mais de 5 mil na zona rural e o restante na zona urbana. A população e de nível social médio.